Mais uma vez no ônibus

Esse post é mais um desabafo do que qualquer outra coisa interessante. Vai ser chato e não está caprichado. Era pra ter escrito sobre isso ontem, mas o sono me venceu fácil e as ideias não estão mais borbulhando na cabeça, está tudo desorganizado. Com vocês, mais uma reflexão no ônibus:

Tempos atrás eu escutava uma conversa entre dois senhores que já viveram muito do que a vida conseguiu proporcionar. Eu acho interessante observar esse tipo de conversa, sempre existe algo pra ser aprendido ou muita coisa pra refletir e dar risadas. Já gosto de escutar os velhos conversando sobre os esquemas que eles faziam antigamente pra pegar mulheres, geralmente é sempre um pouco maior do que realmente aconteceu, ou não. Comentam sobre futebol, sobre o bairro, como era a situação política daquele período... A conversa sempre vai se desenvolvendo até chegar no momento em que realmente começam a comparar com o que acontece hoje. Pronto! Agora é que realmente vale a pena estar muito atento e tentar entender o ponto de vista dos homens de chinelo que jogam Dama. As frases geralmente começam com um clássico "Na minha época...", senta que lá vem história!

Em uma dessas conversas eu ouvi um dos homens reclamando da falta de atitude dos jovens hoje em dia. Ele reclamava como estivesse sentindo um pouco de raiva daquilo que enxergava, era como um soldado que ia pra guerra defender o país e quando retornava pra casa percebeu que seu esforço não valeu nada! Eu gostaria muito de ter participado dessa conversa como um ouvinte, mas só pra poder relatar aqui cada fala, a riqueza é imensa! Porém, uma das falas me chamou a atenção, deu um nó na barriga e eu não sei explicar bem o motivo dessa sensação. Enquanto o veículo balançava mais do que barco de papel em piscina de criança, o "coroa" largou:

- O jovem de hoje em dia tem medo de se arriscar, tem medo de sair de casa, tem medo de fazer um intercâmbio com tantas facilidades que existem hoje em dia pra poder viajar e estudar em outro país. Na minha época a gente tinha que ralar muito pra conseguir as coisas e tudo era melhor. Muita gente morreu pra que o país fosse livre desse povo corrupto. Hoje em dia nêgo só quer saber de ir pra show e ficar sentado na frente do computador.

Que tapa na cara eu recebi! Sério, me senti fraco e inútil! Não que eu quisesse fazer um intercâmbio-coisa-e-tal, já pensei nisso muitas vezes e gostaria de ter grana pra fazer isso, mas a questão não é essa. O problema foi perceber o quanto muitos são mimados e não deixam sua posição de conforto por que tem medo de arriscar algo que pode trazer milhares de benefícios. Claro que eu faço parte dessa turma, como não? Sou um exemplo vivo!

A falta de coragem que predomina nesses anos é o que torna tudo mais difícil.  Nós temos medo de sair de casa, medo de apanhar quando tomar uma atitude sem que tenhamos alguém pra nos amparar. O medo vem fazendo parte do nosso cotidiano e não se trata apenas da violência, eu penso que a coisa está mais escondida Eu entendo que os tempos são outros, mas quando eu era criança vi meus irmãos e os amigos deles saírem de casa com pouco menos de 25 anos, a idade que tenho hoje. Vi muitos jovens nas ruas lutando por um país melhor, já vi muita coisa no início da década de 90 que hoje em dia não tem valor algum, coisas que morreram no passado.

Tudo o que fazemos hoje vem se limitando a recorrer a internet pra protestar sobre algo, ninguém vai as ruas com o propósito de reclamar, ninguém quer se arriscar, e as atitudes só existem na língua ou nos dedos. Sim, a internet vem destruindo isso e por mais que digam que movimentos e protestos vem possibilitando a organização de tais coisas, eu não vejo um real sentido... Na verdade eu não vejo mais determinação nas pessoas pra fazer as coisas acontecerem, sempre estamos esperando por algo que caia do céu ou venha ser entregue em nossas mãos. Na internet nós dizemos o que sentimos, o que fingimos ser e aprendemos a ser algo até que não imaginávamos. E do jeito que a coisa vai andando a tendência é acelerar o "Projeto Ribanceira", ou como chamam algum time por aí "O trem-bala da colina". Ta tudo indo pelo buraco e a gente fingindo que bota pra foder por que escreve direitinho. Eu vivo dizendo que sonho com o dia em que o povo brasileiro vai sair quebrando tudo, mas nos dias de hoje o ato de protestar não é politicamente correto, é coisa de maluco, não tem o que fazer.

Na verdade nunca foi bem visto, hoje em dia é pior ainda. Sair pra protestar ou fechar uma rua pra chamar a atenção dos governantes é vista como antiética por que vai atrapalhar o compromisso de alguém. Eu concordo em partes! Com certeza vai atrapalhar, mas se esse é o único meio de fazer com que nos enxergue, qual é então a melhor opção? As pessoas não têm mais o direito de serem ouvidas e ainda são vistas como loucas ou baderneiras. Enquanto nós criamos hashtags ou organizamos eventos em que confirmamos a presença e... Dá em nada. Gente, quer coisa pior do que está acontecendo em nossa cidade, nosso bairro, nosso estado? Até os bairros nobres, algo que era visto como intocável antigamente, estão sofrendo com o crescimento da marginalidade e violência. Aí sim algumas pessoas se movem por que atingiu a elite. Outro dia vi um manifesto virtual, pra variar, convocando para protestar contra a violência que vem "ferindo" a Barra, Pituba e o Pelourinho. A violência vem "ferindo" os bairros pobres faz muito tempo e nunca vi alguém protestando ou convocando. Violência em bairros pobres se torna estatística e matéria pra programas sensacionalista, ninguem da atenção ou se importa. Eu vejo muita gente se movimentando sobre a questão da violência contra os animais. Tem mais de não sei quantas instituições que cuidam disso. Porra, e pros humanos? Qual sociedade protetora cuida da gente? Rico, pobre, negro, branco, índio, asiático, etc. Acho que a vida de uma pessoa vale muito mais do que a de um animal nesse momento, por que somos nós que cuidamos deles. Eu não sou a favor da violência contra a nenhum ser vivo, o que quero dizer é que já não nos importamos tanto com o bem estar do vizinho, por exemplo. Nós damos comida pra um cachorro abandonado e não damos a uma pessoa que passa fome. As pessoas estão invisíveis e quanto mais decadentes, miseráveis ou mal vestidas pior. Será que isso ainda não vale um movimento popular em massa? Tem muita coisa pra ser repensada.

Então deve ser essa a batalha do soldado que voltou pra casa e viu que sua luta não foi valorizada por seus filhos e os que vêm depois dele. Não vingamos nada do que foi feito "Pra que nossos filhos possam viver em um lugar melhor do que vivi e não tenham que passar por isso." e infelizmente faço parte disso.

Comentários

  1. Você disse que ia ser chato, mas achei este um dos melhores textos do blog.
    Concordo que é conflituoso ambicionar a mudança do mundo e se flagrar na frente do computador, ainda inerte e sem perspectivas de abandonar a zona de conforto.
    Tenho pensado nisso há um tempo e me vejo encontrando sempre mil desculpas para continuar onde estou e fazer a revolução apenas com palavras e boas intenções digitalizadas no blog.
    No fundo, acredito mesmo que a internet pode ser parceira e iniciar movimentações. Temos visto isso com as inúmeras marchas que estão acontecendo ao redor do mundom mas aí também mora certo perigo.
    Como você disse, protestar virou algo condenável na sociedade, é considerado baderna. Quando não é, acontece quase em silêncio e com o auxílio da polícia para que não haja interferência no trânsito, barulho em excesso, etc.
    O protesto, mesmo mal visto, está liberado. Os políticos perceberam que é fácil deixar as pessoas acreditarem que estão protestando enquanto, na verdade, ninguém os ouve.
    Ferramentas como o twitter e o facebook tem servido da mesma forma. É totalmente liberado qualquer tipo de protesto, divulgação de links com notícias escandalosas e estas sempre nos rendem alguns "curtir" de pessoas que estão realmente insatisfeitas ou de quem quer se mostrar inteligente. Protestar no twitter ou facebook, pra mim, é apenas uma forma de desabafar certas coisas de imediato, porque, sinceramente, não tem como competir com as inteligentíssimas postagens e perguntas sobre "pra quê serve o botão cutucar".

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por comentar!