Lorota


Não me identifico como um homem da marcha para o progresso do mundo, um militante ou qualquer tipo de ativista. Não sou mais do tipo que vai pras ruas buscando uma melhoria pra minha cidade ou meu país. Sinceramente, eu nem acredito mais nesse país e só vivo nele não tem mais jeito! Tudo o que eu poderia ter feito no passado pra não estar vivendo isso que tanto me incomoda, acabei deixando passar, só que eu sou o tipo de homem que acredita em algo que está acima de tudo o que conheço. Se algumas coisas acontecem, com certeza não são a toa e tento tirar algum proveito disso. Mas esses últimos dias estão sendo cada vez mais difíceis. 

Estou muito incomodado com o rumo que as pessoas estão tomando. Acho que estamos perdendo cada vez mais o carinho e respeito pelo próximo, se um "irmão" está com problemas e vem pedir ajuda ele se torna um incômodo. Se as pessoas protestam por alguma melhoria, logo são julgadas como descocupadas ou inconvenientes. Avaliamos se a morte de uma pessoa pública é correta ou conveniente como se estivessemos assistindo uma novela, a violência tem se tornado tão comum e banal que só vem a nos incomodar quando somos nós as vítimas. Tudo tem se enquadrado no Código de Hamurabi "Olho por olho, dente por dente" (o código não se resume a isso, é só uma tradução famosa) e cada vez mais os valores estão sendo jogados pra casa da porra. Acho que quando as pessoas não tinham tanta liberdade pra falar o que queriam as coisas eram mais respeitadas e as ações eram mais restritas. Não sou a favor de mordaças, mas sou a favor do bom senso.

"Ok, cara! Mas e a imagem?"

Eu achei a imagem muito interessante. Não entendo de Xadrez, mas sei que aquilo é um peão e ele é sacrificado pras que as peças mais valiosas sejam preservadas e possam fazer a jogada do triunfo. Também sei que ele não se resume a isso, as vezes um peão pode ser a peça chave pra que toda uma estratégia seja bem arquitetada, sem necessitar do sacrifício. Eu não acredito que somos apenas peças manipuladas pra que outras "mais importantes" fiquem em posição de conforto. Eu não quero ser assim e isso me lembra uma breve troca de caracteres com um político baiano. Ele disse que o político vem do povo. Claro que no início eu fiquei furioso e fui tolo em acreditar que coloquei o cara na parede, pra ele dar uma resposta tão pobre. Sou muito inocente, bem que minha mãe vive dizendo que não sei nada da vida. O cara está correto! Estamos reclamando de que? Da corrupção no Brasil? Os políticos daqui são a imagem e semelhança do povo. Não ache que você é mais honesto do que aquele engravatado que rouba nosso dinheiro. Já perceberam que o tempo passa e a situação é a mesma desde a época do Brasil Colônia? Não estou dizendo que você rouba sua mãe, não é isso. Mas os mesmos continuam no poder. Ricos ou pobres, eles saem do meio que convivemos e crescemos. Será que existe algum encosto que torna o cara corrupto, ou realmente todos somos assim? Alguém está fazendo isso errado.

Comentários