New home Old memories



A vida de um cara "solteiro" não é tão simples quanto alguns pensam. Na verdade, eu nunca achei que essa zorra seria fácil, mas lavar roupa e cozinhar é dose! A vida nunca é fácil quando o filhinho sai debaixo das asas, mas tem um lado que é engraçaralho e esse lado sempre traz boas lembranças e me contradiz imediatamente.
Há um mês e pouco comecei uma reforma na casa, como ja disse antes estou "morando só", resolvi dividir a casa em duas partes pra tentar um possível aluguel. A casa é grande pra caramba e hoje eu entendo que o antigo pedreiro fez uma besteira TITANICA quando fazia a obra e meus pais não podiam estar fiscalizando. Eu ja disse que a casa é grande. não sei qual o tamanho da casa de vocês, mas pra mim que vivi em uma casa relativamente mediana, essa casa passou a ser enorme depois que completei 22 anos. Até então eu sempre limpei a casa desde 12 anos quando o chão ainda cimento batido, não dava mais pra viver na antiga vizinhança e depois que o velho morreu resolvemos mudar de casa. Fizemos todas as mudanças e depois de muitos anos ainda tinhamos coisas embaladas.
Zorra, é muito chato passar por reformas e construções, perdi a conta de quantas vezes tive que ajudar os pedreiros ou me lascar sozinho carregando material e limpando bagunça. Lembro das bacias de plástico que usei pra carregar granito antes de ir pra escola, sem contar as vezes que tinha que jogar aquelas pedras na peneira pra não levar terra na viagem. A parte boa é que ganhei massa muscular e condicionamento físico, a ruim é que eu comia feito um animal (animaaaaaaaal mesmo), depois dessa época eu vim entender porque a peãozada come pra raio.
Mas nada disso se compara a essa divisão, óbvio que depois de 14 anos a casa ia precisar de uma pintura nova e veio na hora mais confortável que é a reforma. Caraaaaaaaalho! É muita poeira! Arruma, desarruma, muda móvel de lugar, embala, compra, faz dívida, paga, limpa, carrega, se estressa, engole sapo, limpa, reclama, instrui, informa, pedreiro falta, chove, pedreiro macetoso, pedreiro carrega e eu junto de tudo isso e ainda tinha que dar conta das obrigações, fora os problemas pessoais. Rapaz... A situação é tão escrotizadora que nem dá pra cozinhar ou tratar carne na pia. Aliás, que pia? Eu tava lavando prato na área de serviço, onde lavo a roupa. Meu, que porra! Meu cardápio se resumia a arroz, farinha, alguma carne e as vezes um feijão na raça (Graças a Deus e mainha).

- Acorda, Alice! Ser macho é isso, bem vindo a vida!

A primeira coisa que aprendi e desencadeou dezenas de novos aprendizados, mas vou citar duas: Fique perto do pedreiro.
 Além de fiscalizar se o cara ta fazendo certo ou errado, você pode mudar de opinião e ainda receber novas idéias de como pode ser feito. Planejamento em uma reforma é tudo e tomadas em posições e quantidades estratégicas nunca são um exagero.
Meu pai era o tipo de homem que só pagava pra fazerem o serviço uma vez. Da outra quem fazia era ele e ainda o serviço saia melhor.. PQ? Pq ele ficava pior que criança curiosa, olhando o serviço todo. Enquanto eu vistoriava o serviço do cara, fui aprendendo alguns detalhes que foram corrigidos posteriormente e ainda tive novas idéias do que poderia ser útil. Isso leva a segunda regra

Tenha um pedreiro muito bom!
Se o seu pedreiro for um cara esforçado e tiver boa vontade, você tá no céu. Mas se prepare pra coçar o bolso, bom trabalho tem que ser recompensado com bom pagamento, mas combine um preço antes e nunca pague pelo serviço adiantado. O negócio é metá-metade. Trate bem o cara, com respeito e o cara não vai sacanear. Nesse meu serviço terá um gasto a menos por causa da engenhosidade (armengue) do cara. A pintura das paredes vai sair 30% mais barata graças a visão do nosso camisa 10. O cara é um Rafael renascentista encarnado. Só não faça armengue na rede elética, pelo amor de Deus!

Sábado foi o grande dia do final da casa. Ainda não é a inauguração oficial, já que nem tudo está no seu devido lugar e meu tornozelo ta mais detonado que o do Mario Bros. Não me pergunte que Mário...  Depois que mudei o guarda-roupa e a cama foi que eu parei pra sentar e contemplar o meu templo. Não tem coisa mais gostosa do que parar e ficar olhando aquele local que é seu, do jeito que você planejou, da cor que você gosta e todo arrumadinho. Eu me peguei parado por 15 minutos enquanto observava a cozinha americana (de fudido) que divide a sala como se fosse um faz-de-conta. Aí eu andava lá e ia pro meu quarto, pra cama e me via fazendo altas aventuras ali, com minha senhorita (comendo e dormindo), dando altas gargalhadas... Claro que eu gargalhava das escrotizações que falava pra ela.
Pela primeira vez na minha vida eu pensei em colocar uns quadros na parede, comprar umas mesinhas de centro, canto e até uma Tv nova... com Sky HD... ESPN, Canal Adulto... essas coisas que já sonhava quando era guri. Ainda não é o Projeto Mundo do Junio, onde vou ter um espaço só pra jogar, beber e receber os chegados, mas é um grande passo do pequeno homem. 

A parte mais show do dia foi quando comecei a mexer nas coisas e fui achando coisas que me levam ao passado. Encontrei cartas, fotos, dívidas, lembranças de pessoas distantes e até de umas que prefiro estar mais distante. Aquelas velhas lembranças que fazem você pensar "Como eram bons aqueles dias", enquanto na verdade o melhor momento é agora. 


PS: Após revirar o quarto tive a certeza que minha passagem pra Fortaleza foi surrupiada ou criou pernas e fugiu.

Comentários