Eu acredito em contos de fadas

jlo

Todo mundo já quis uma segunda chance em algum momento da vida. Os filmes que vou indicar aqui me chamaram a atenção, me emocionaram de uma maneira que tive que escrever sobre essa experiência sensacional. Eu prometi que ia escrever sobre algo muito legal pra fazer no fim de semana, disse até que alguem poderia gostar do conteúdo do post e digo mais: espero que sua (seu) companheira(o), namorada(o), esposa(o) ou aquela(e) amiga(o) tambem goste. Os filmes que vou indicar aqui serão assistidos por minha senhorita e eu em algum fim de semana. Estou resgatando a sessão de filmes do blog. Já indiquei alguns pra assistir em dias de chuva ou naquele dia em que sua malandragem ta querendo insinuar algo pra alguem, mas hoje é pra esquentar a costela. Os dois filmes são com o mesmo ator, acho que outros que indicarei também serão. Hoje eu vou mostrar que o ogro também ama! Espero que gostem.

Um bom ano (A good year, 2005).


A-Good-Year-marion-cotillard-1805426-1024-768

Max Skinner: Você tentou me afogar!!!
Fanny Chenal: E você tentou me atropelar, em seu pequeno carro!!

Dirigido por Ridley Scott, Russel Crowe vive o papel de um genial homem chamado Max Skinner que foi educado por um tio que leva o Carpe Diem muito a sério e de uma maneira que me causa inveja. O personagem principal é um homem rico, poderoso, inteligente, cheio de conhecimento e que pode ter a mulher que quiser, além de ser um belo canalha! Max herda as terras do tio na França, onde passava o verão, e tem que dar um jeito de tocar aquilo pro lado e voltar pra sua vidinha mais ou menos em Londres. Tudo corria relativamente bem até que a história da uma virada de mesa e ele encontra uma mulher que… acaba sendo atropelada, sem querer. As vezes a gente tem que entrar em conflito pra depois amar, não é?!
Bom, o enredo todo mundo ja deve saber e pode até imaginar como termina essa trama. É um filme comum com um galã famoso e com todos os clichês já conhecidos de uma comédia romântica. Daí vem a maldita pergunta: Então pra que indica?
Simples, vou te dizer os pontos em que o filme vai ganhar a atenção da sua namorada: O local onde se passa a maior parte do filme é uma cidadezinha na França. Pra minha (e sua) sorte a fotografia do filme é excelente e a mansão é linda. Meus amigos, o cenário é incrível! Imagine que você está em uma casa antiga e muito charmosa, o sol brilha transmitindo cores e transformando o céu em um quadro que você gostaria de olhar sempre que acordasse. A pessoa que você mais quer está ao seu lado e pra deixar tudo mais agradável, toda a história gira em torno de belas garrafas de vinho. Meu amigo, esse é um filme pra você levar um bom aperitivo e um Moscato D´Asti ou um vinho branco qualquer (que não seja vendido naquele armazém onde a galera do futebol bebe), mas por favor assistam em local que não interrompam o clima e lembre de desligar os celulares. Beba uma taça e deixe ela tomar três. Não tomem a garrafa toda, deixe sobrar até a metade mais ou menos.
Prestem bastante atenção nos cenários e na música. O filme tem uns toques cômicos, não são engraçadíssimos e não acho que seja aquele filme pra gargalhar, mas o humor dele cria… digamos, um ambiente agradável.

O filme me tocou muito pelo desejo de fazer uma bela viagem sem a família dela, se você tambem precisa de uma viagem romântica, esse vai ser o filme que poderá convencer para investir na idéia.

Cinderella Man (2006).


Cinderella_Man_2

Mae: Eu vim rezar pelo Jim.
Padre: Todas essas pessoas tambem.

Ron Howard trouxe a história de James J. Bradock, The Bulldog of New Jersey e eu tenho a dificil missão de fazer você acreditar que esse filme é romântico. Na verdade não é, mas pode ser.
O filme se passa na grande depressão e James é um boxeador que colocava o coração nas luvas, o amor na família e o dinheiro em ações. Infelizmente ele se dá mal, mas como se dá mal o coitado! James perde tudo. O dinheiro, a casa, móveis, boa vida, uma luta por pontos e até os filhos. Mas tudo o que ele queria era manter a família com dignidade e enfrentando todas as dificuldades com a mesma força de vontade que ele enfrentou todos os adversários anteriores. Após muitos problemas ele consegue uma luta de despedida, onde é suposto que será derrotado facilmente. Depois desses eventos ele fica conhecido como o Cinderella Man, o homem que saiu da miséria e foi subindo até onde deu de uma maneira inacreditável. O filme é baseado em fatos reais e traz um ícone do boxe representando todo um povo sofrido. No fim das contas o espectador vai descobrir que James Bradock nunca lutou só e sem motivos.

Mas não se trata apenas de boxe, não se trata apenas de dificuldades e vitórias. O filme traz algo que muitos querem, poucos dão valor e somente um homem felizardo pode ter: uma mulher companheira nas dificuldades. A história trouxe a compreensão e valorização do apoio que um casal precisa para prosperar nas horas mais difíceis. Amigos, como é difícil suportar a vida quando as dificuldades são maiores que as alegrias! O Bulldog seria um simples animal indefeso se não fosse a sua esposa. Que coisa linda! Eu sei que a vida não tem regra única pra todos, mas se você está passando por uma dificuldade e a pessoa que está contigo (parentes, amigos, companheiros ou conjuges) ainda não desistiu de você é por que realmente tem algo valendo a pena. 

Eu acho que é legal pra assistir acompanhado por causa dos momentos em que o cara sabe que precisa fazer algo sobre aquela situação. Me levou a pensar o que eu teria feito. O que um pai não faria pra cessar o sofrimento dos filhos, o que uma esposa é capaz de desejar pra que o seu amado retorne com vida, o que um filho mais velho buscou fazer e como ele transita da infância pra maturidade em pouco tempo e assume a responsabilidade de ser o homem da família. É impressionante como os guris percebem aquela situação. Tem uma cena em que ele vai se despedir de todos, está evidente o clima de tensão ali, eles sabem que o pai vai morrer mas ainda acredita, e um dos meninos aperta a mão do James como se estivesse dizendo “Tambem vou tomar conta da gente”. Poxa, é pra ficar de mãos dadas e bem apertadas! Tem momento mais sublime na vida do que saber que você vai poder contar com aquela pessoa que escolheu pra viver? Hoje sou muito grato por ter essa graça, pode não ser pra sempre, mas vale enquanto existe (viu?).

Comentários e desabafos emocionados à parte, creio que todo o filme vale a pena: A história fala sobre as dificuldades e superações de uma família, sei que nem todo sucesso familiar deve estar associoado a presença do pai perfeito ou da família exemplar como o filme traz, mas dou valor a isso. A edição de som, imagem e como a luta é reproduzida traz uma certa emoção. É um balé de socos e o último instante é de tirar o fôlego.

Jim Braddock: Eu tenho que acreditar que quando as coisas são ruins eu posso mudá-las.

É o tipo de filme que eu aconselho, se arrisque! Vá sem expectativas.
Bom, assistam e me contem sobre a experiência, vale a pena? Quero muito saber. E antes de me despedir vou repetir a dica:

Uma taça pra você e três taças pra ela beber.

Abraço!

Comentários

  1. quiridón! adorei a sinopse dos dois e não conhecia nenhum! fiquei intrigado com o nome do segundo! vou tentar assistir os dois!

    ResponderExcluir
  2. Velho, você tem a manha para resenhar filmes. Fiquei interessado em assistí-los. Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom! Vou conseguir esses filmes e volto aqui pra dizer o que achei. Gosto dessa análise do filme misturada com dicas para a hora de assistir. Ontem estava assistindo Immortal Beloved (mais uma vez), e o Beethoven dizia que a música serve para que as pessoas saibam o que se passa na cabeça de um compositor. No seu caso, essa postagem serve para a gente assistir com as impressões do espectador que recomenda algo que lhe encontou... Grande abraço, irmão!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por comentar!