Confiança

O medo de ser passado pra trás

Hoje vou escrever sobre algo que me levou à infância e a consequência disso é mais um desabafo no blog um trauma que me incomoda até hoje. Como eu sei que os poucos que param pra ler são de confiança ou não me conhecem, vai ser mais fácil. No final fica a reflexão disso tudo e vale a pena ler.

Tudo começou ontem. Acordei as 4 horas devido o sono ter aparecido mais cedo que o comum, 22:40 e eu já estava me despedindo de minha amada por conta do cansaço, algo que não é comum. Levantei, fiz algumas coisas e deitei novamente em vão. Nesse momento eu comecei a pensar em sexo e isso me levou a pensar em iogurte, tive então lembrança de uma tirinha que ensinava por A+B uma técnica revolucionária que vinha passando desapercebida: Tomar iogurte sem colherinha ensina o homem a dar prazer pelo sexo oral. De fato é verdade! 
Logo me veio a lembrança da época do CPM e me vi passeando pelo pátio, conversando com antigos colegas de sala e vi a cantina que ficava ao lado esquerdo, atrás do gol da quadra de futsal. Nessa época eu levava o lanche de casa e queria ser como todos os outros que compravam na cantina. Lembro que eu sempre levava iogurte e mais alguma coisa pra comer, apesar de adorar a bebida láctea desde menino, tomar essa bebida quente é horrível! Então comecei a comprar na cantina e percebi que poderia comprar a ficha antes do início da aula e no intervalo não seria mais um implorando pra ser atendido naquele bolo de crianças, evitando perder o recreio e aproveitando mais aqueles minutos. Dei o dinheiro ao funcionário, mas o sacana não me deu a ficha, disse que quando fosse intervalo era só chama-lo que estava tudo certo... Na hora do recreio o cara tinha ido pra casa e passei por um trauma, além da vergonha e decepção, que existe até hoje. Depois desse episódio me lembro de falar com minha mãe e ir reclamar com o Cabo Pimenta ou o outro qualquer que não lembro o nome pra tomar uma providência, mas o cara disse que nunca teria feito aquilo e o dono da cantina afirmou não saber de coisa alguma, claro. Até a moça que me informou que o sujeito não estava lá naquele dia veio a negar na frente do oficial. 


Até hoje eu tenho medo de ser passado pra trás, sou desconfiado quando o assunto é dinheiro e tenho rabo preso com tudo que envolve esse assunto. Eu já cheguei a declarar que um cara poderia mexer comigo, com minha mulher e até mesmo minha comida. Mas que não tocasse em meu dinheiro! Além de ser algo bastante cruel, devo informar que essa declaração varia de acordo com a situação e meu bom humor.
Lembro que já me vi em situações constrangedoras em relação a isso, uma vez até algum tempo atrás a minha mão tremia quando um sujeito veio a pagar o que devia. Hoje me vejo em situação semelhante e estou evitando ao máximo cobrar diretamente do sujeito. Não, a minha mão não treme, mas tenho uma vontade de dar um bofete no rapaz... Espero que dê tudo certo e que eu possa ganhar dinheiro suficiente pra começar minha terapia, meu cuidado. Óbvio que tive outros problemas relacionados ao dinheiro que me deviam e a forma como vivenciei e tive calma ou não foi decisivo pra construção do homem aqui.
Eu fico me perguntando por que as pessoas com os piores tipos de caráter são os que conseguem os cargos mais altos ou aqueles que fazem o homem "pequeno" depender da boa vontade e honestidade delas. 


Comentários

  1. Você precisa superar esses traumas.

    ResponderExcluir
  2. Olá,nossa adoro esse blog,só tem artigo bom,sempre que dá estou passando aqui,depois que meu amigo me recomendo nunca mais deixei de visitar,alguem sabe me falar se assim aqui é bom www.softwarecelularespiao.org ? abraços,assim que der eu volto pra comentar aqui no blog

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por comentar!