Um rascunho sobre a cultura pop violenta


Comentário que fiz no Podcast Cidade Gamer 95: Violência nos Games.


Antes de tudo quero dizer que não sou conservador, a favor da censura radical ou crente. Só estou dando meu ponto de vista e tentando colaborar na discussão.

Boa discussão, é um tema que volta e meia tá na tela de algum jornal de domingo pra causar polêmica ou trazer informação errada. Concordo com o Calavera que existe muita coisa na mídia causando a dessensibilização dos jovens. Não sou do tipo que diz que o Video Game é responsável pelas chacinas e crimes protagonizados por americanos, alemães, brasileiros e etc dentro da escola. Mas influencia sim na formação e concepção do sujeito. Pode não ser pra todos, mas pra alguns sim. E também não concordo com a frase "Entenda que isso é um jogo, uma ficção"; já que da mesma forma que os Jornais Sangrentos sensacionalistas causam um impacto forte na vida do expectador, acredito que os games também causam danos tão quanto a mídia (filmes, games, músicas e quadrinhos). Pode soar estúpido, mas nenhuma pessoa tem noção da violência até entrar em contato direto ou indireto com aquilo. É responsabilidade dos pais vigiar e orientar quanto aos temas, mas nem todo mundo tem essa ajuda. Existem famílias pobres ou ricas em que os pais tem muito desleixo quanto a educação e orientação. Não afirmo também que a orientação vai livrar o jovem do contato ou de se envolver em futuros incidentes.
Quando eu tinha 7 anos na década de 90, existiam brinquedos em formatos de pistolas, fuzis e espingardas. A criançada brincava de polícia e ladrão e muitos até comentavam como uma morte poderia ser causada a depender de onde uma bala atingisse "Eu atirei no coração, você ja morreu!". Todo esse conhecimento vinha daquilo que absorvíamos durante o tempo em que ficávamos na frente da TV. Quando ganhei uma Thompson de brinquedo, eu achava que ela soltava laser igual a Star Wars ou Cybercop. Eu queria assistir Godfather e minha mãe nunca deixou e com o passar do tempo ela quebrou o brinquedo (o troço soltava um som de disparo e produzia faísca no cano).

Muita gente diz que cresceu assistindo isso e aquilo na Sessão da Tarde, muitas vezes fazendo piada com a garotada de hoje que fica restrita a assistir certas coisas. Acho que o grande problema da sociedade atual é a facilidade para acessar certas informações e armas, alem de como eles convivem com isso.
Na minha época eu nunca tinha ouvido falar de crianças de 12 anos que matavam outros da mesma idade com armas de fogo ou facadas! Não lembro de muitos jogos da época em que crianças eram protagonistas justamente por conta da censura.

A violência vende muito e boa parte do público alvo são crianças. Temos que ter cuidado e vigiar sim o que está acontecendo ao redor delas e dar muita orientação.

Jogo violento pode não formar personalidade, mas influencia sim na subjetividade. Mesmo sendo ficção, a cultura pop ta aí pra provar o quanto ela influencia. Se Rocky, Homens de Honra e outros filmes me influenciaram, não vai ser um jogo violento que vai passar intacto na cabeça do guri.

Abraços

Comentários