Sobre educação, mão-de-obra, amizades e diáspora


Venho pensando muito sobre o que está acontecendo ao meu redor e a maioria desses pensamentos estão sendo despejados no Twitter. Eu bem sei que a maioria das coisas que venho a escrever são besteiras e outras são desabafos com a atual situação sócio-política da minha cidade, estado e país. Sinceramente não me importo tanto com o que acontece no mundo, não estou morrendo de preocupação com a crise econômica, só tenho medo de quando ela chegar aqui e a bolha explodir.
Antes de tudo isso acontecer de fato, a preocupação com Salvador é o que me deixa cada vez mais irritado, já que a Primeira Capital do país está inflando e isso significa coisa muito ruim pra quem já estava e pra quem está chegando. Ontem eu vi uma matéria numa revista mostrando as 50 cidades brasileiras como o melhor IDH, claro que sou curioso, gosto muito de ver essas coisas pra ficar rendendo assunto e instantaneamente saí procurando alguma cidade do Nordeste. O motivo dessa procura é que venho pensando muito em mudar de cidade assim que me formar, a preocupação real é com segurança e saúde. Também quero aumentar meu índice de desenvolvimento, desculpem a piada. 

Salvador está em 383ª como cidade brasileira em desenvolvimento humano. E é a 3ª capital mais populosa do país. Daí eu vejo pessoas defendendo os atuais governantes usando argumentos que o Partido Tal tem investido em criação de escolas e universidades, contratou professores e até outros que defendem a nossa "melhoria" de vida graças ao Polvo e a Vilma, já que antigamente o pobre não conseguia ter carro, financiar casa, ter tv de 42'', assistir programação paga e comprar roupa boa em shopping.


Não adianta construir escola sucateada, contratar professores que tiveram como base esse tipo de escola e que vão formar alunos com rendimentos piores que os dos professores. Daí teremos profissionais medianos ou ruins, isso se a maioria conseguir de fato se profissionalizar. Semana passada li uma matéria em que um especialista falava ta falta de mão-de-obra de qualidade no estado da Bahia, contudo vi depoimentos de pessoas que se formaram nas instituições que divulgavam vagas e prometiam essa tal qualificação da qual tanto falam. Me chamou a atenção que existem muitos qualificados fora do mercado de trabalho. Tais instituições prometem inserção no mercado por conta de uma boa fama que arrastam junto com a tradição. Mas se parar pra pensar, essas instituições estão ligadas aos programas do governo e o aumento desses números são bons pra uma campanha eleitoral, por exemplo - Aumentamos em 35% o número de pessoas qualificadas para o mercado de trabalho - o que causa uma excelente impressão ao que vive em desigualdade.


Por conta desses números eu vejo pessoas que estão buscando refúgio, o sonho da estabilidade e segurança em outros países. A idéia de buscar outra cidade no Brasil sempre me pareceu aceitável, em alguns momentos já quis até mudar de país. Mas nada disso me incomodou tanto quanto ver um amigo da época em que a adolescência era a fase da rebeldia e planejamento das farras que gostaríamos de fazer me enviando uma mensagem convidativa para uma despedida. Eu apoio totalmente o que ele está fazendo e gostaria de fazer o mesmo, mas no fundo eu sinto uma dor em pensar que teria que deixar a minha terra, o local que me formou como um bom homem (apesar dos comentários ordinários e algumas vezes imorais) pra viver em outras bandas que supostamente podem suprir tudo isso. Eu olho com certo desprezo pra algumas pessoas que viajam pra França e dizem que gostariam de viver lá pelos motivos de serem mais civilizados. Que o país bom é a Inglaterra por conta do desenvolvimento. Essas pessoas batem no peito e sentem orgulho de lugares que talvez nunca tenha contribuído em nada pra formação delas, como se fossem nativas daquele local. Eu não entendo o orgulho por algo que não se faz parte, é isso que quero dizer. Mas somos cidadãos do mundo, poderíamos viver onde quiséssemos. Infelizmente somos "incentivados" a abandonar isso aqui pra viver melhor.
Vão com Deus, amigos! Vocês três merecem o melhor e torço muito pra que tudo dê certo. E se preparem caso eu tenha que deixar tudo isso com tristeza.

Enquanto isso, pela falta educação, respeito, saúde e segurança o nosso IDM (Índice de Desenvolvimento Mano) tem crescido bastante. Mas na Bahia temos o costume de só se incomodar com aquilo que nos afeta diretamente. Enquanto dá pra consumir e levar com a barriga não tem problema.

Comentários