Questão de Tempo

Me impressiono cada vez mais com a capacidade do meu cérebro em trazer lembranças antigas e me fazer entender como sou hoje. O normal é uma convenção e estou bem longe disso.


Todos os dias quando acordo realizo o mesmo ritual, durante esse ritual por alguns momentos eu paro tudo o que estou fazendo e olho pra frente. O que estou olhando tem que estar a uma certa distância para que eu não me concentre precisamente em algum objeto, não existe foco em alguma coisa próxima, tem que ser no todo e daí surge o meu mundinho onde a imagem fica turva e eu consigo viajar no passado ou imaginar o futuro. 


Se você está lendo isso, saiba que é uma das poucas pessoas a saber e provavelmente continuará sendo uma das poucas... baixo número de acessos e tal, essas coisas.
Eu demorei um pouco pra entender como isso funciona, não sei se acontece com outras pessoas, mas eu só consigo viajar dessa maneira. É como se eu estivesse num cinema, talvez por isso o ritual de ir ao cinema, mesmo que acompanhado, seja tão gratificante pessoalmente.


É quase isso, só que melhor.
Todas as vezes que faço esse ritual consigo planejar meu dia ou traçar um imaginário sobre o que vou fazer e como posso fazer isso sem causar algum dano. Raramente sou surpreendido, como fui essa semana, porém em muitas ocasiões nem tudo acontece do jeito que eu queria e as vezes sai bem melhor. Mas o importante aqui não é o planejamento e sim como eu consigo o meu momento About Time (2013) e melhor do que o protagonista do filme, só consigo mudar o presente se eu entender o passado sem modifica-lo. Eu ainda não aprendi a modificar o passado, mas saiba que se eu descobrir, esse texto pode nem vir a existir ou poderá ser melhor escrito.

Hoje eu entendi, por exemplo, um dos momentos mais influentes da minha vida e ele se deu na infância, na escola e professoras estiveram envolvidas. Agora entendo um pouco mais o motivo da minha felicidade quando alguém me trata bem e porque sou tão leal aos que me ajudam.



PS: Não, poucas foram as professoras que me trataram bem na infância.

Comentários