A hora do Artigo

Está chegando a hora. Na verdade, ela já estava ao meu lado o tempo todo e só agora que o medo ta aparecendo. Muita ansiedade, medo, ainda não tenho tudo pronto e qualquer coisa tem se tornado motivo para me afastar da escrita. Nunca quis evitar, preferiria já ter apresentado antes, mas são mais alguns passos para o fim da corrida. Não existe um vencedor de fato já que ainda não sei o que vai acontecer e quais são as expectativas que serão concretizadas. Queria estar acompanhado, que alguém em especial estivesse me dando a mão e influenciando a seguir em frente. Nunca fui fã de dizer que tudo vai dar certo já que em muitos casos não é assim que termina, acho muito mais honesto incentivar a seguir em frente e já que só tenho a mim mesmo nesse angustiante momento... vou me contentar em dizer à mim mesmo num momento quase esquizoide: 

"Tenha paciência, foque no que você quer apresentar e tanto trabalhou pra ter exito. Acredite no seu trabalho tentando parar de impressionar aos outros. Estou fazendo para mim mesmo, ninguém mais vai sair lucrando com isso. Agora é você e a banca. Ninguém vai te ajudar a sair da selva, ninguém vai estender a mão e só você pode ser especial pelo menos pra si. Por mais que não consiga visualizar uma luz que é o seu futuro, siga andando e atento".

Falhar nunca foi meu objetivo, tinha alguns outros em mente o tempo todo, mas a vida veio a me mostrar que não poderia focar naquilo e esperar retribuição ou prêmio. Sempre ajudei os outros a crescerem, mas chegou um momento onde eu precisava me reerguer se quisesse continuar a fazê-lo. Não da pra ajudar a crescer quando se está abaixo e nem todo mundo vai estender a mão pra mim. Já puxei, levantei, acolhi, empurrei, incentivei, aconselhei e em algum momento fiquei parado esperando mais um pouco do mesmo em retribuição. Eu sou assim, não posso aguardar que façam o mesmo por mim com tanta paciência. Não posso esquecer daqueles que resolveram me dar um pouco de crédito e investiram. É isso, se vira! Alguns crescem, simplesmente vão embora e não olham pra trás. Sempre gostei de crescer junto, mas não dá mais. 

"Se fosse uma história de fantasia teria uma jornada em que começo só, bem treinado, conheço alguns companheiros durante o percurso e cada um segue seu caminho. Histórias se repetiram, reencontros aconteceram, mas sempre há espaço pra uma nova aventura".

Chegou a minha vez. E se falhar, mais uma vez vou tirar algo de bom nisso e esse é o meu diferencial. Eu consigo aprender com os erros e nenhum grande homem chegou longe sem ter que aprender dessa maneira. Nenhuma vitória se torna prazerosa sem dificuldades e repito isso. Nenhuma batalha é vencida sem perdas.
Tenho medo de que os erros me deixem pra baixo e me abalem, porém quem quer alguma coisa num mundo competitivo não pode viver mais assim e minha insegurança vai ter que se foder um pouquinho. Não dá mais pra estar dentro de uma bolha esperando que o mundo não me atinja. Já apanhei tanto, perdi algumas coisas, o que me custa continuar a tentar? Já estou exposto nesse campo faz muito tempo e só posso fazer como agora e dar um sorriso por perceber isso.

Se não for agora então quando? Se não for eu então quem?

Comentários